terça-feira, 11 de maio de 2010

Voltei à «minha» escola...

Hoje voltei à escola onde trabalhei nas últimas três décadas...
Voltei como desejava: com hora marcada, recebida por todos como um filho pródigo que regressa e é bem-vindo... convidada para uma sessão de promoção da leitura, com uma turminha de quinto ano, terna e atenta... Apenas com menos tempo do que seria desejável, mas logo hoje era dia de ir "Ler a meias" com os meus meninos de 3º ano da EB1 Conde de Ferreira: outros compromissos, horas marcadas...
Verdade, verdadinha, foi uma correria, para não perder o treino de "velhos tempos"... Não tão velhos quanto isso! Ao fim e ao cabo, os meus meninos de então eram alunos de 5º ano e estão agora a concluir o 6º. 
Passou-se um ano e picos... Parece mais..., mas hoje pareceu-me menos, ao sentir a sua recepção calorosa, acorrendo em bando cada vez que um grupo deles me via passar... Surpreendidos, alegres e afectuosos.
Na biblioteca, publicitou-se o livro, "uma extraordinária revolução, sem necessidade de cabos nem de electricidade nem sequer de conexão à Internet... com um acessório opcional (o marcador) que assinala o ponto exacto em que se ficou na sessão anterior, mesmo que o livro seja encerrado..." Soaram gargalhadas e a boa disposição reinou... 
A seguir, com António Torrado, percebemos como se fazem as apresentações entre um livro e o seu leitor... E então lemos histórias que pareciam para os mais novos, mas que encerravam mensagens para todas as idades, e também o inverso: um capítulo de um livro para mais crescidos que muito divertiu os mais novos... Enfim, concluiu-se que, fora as leituras obrigatórias,  temos de saber escolher o livro que nos dá prazer, o que varia muito de leitor para leitor... E um livro (de leitura recreativa) sabe esperar por nós, se ainda não tiver chegado o momento de o lermos. Um apontamento poético teve também lugar. Bem como uma "lição" acerca da felicidade...
Livros.
A ocasião convidava, de facto, a falar de livros: hoje foi relançado na escola o projecto Bookcrossing. E daí o convite.
Assistiram à sessão várias colegas e amigas - uma presença simpática e calorosa...
Foi um momento agradável e repleto de afectos este regresso à «minha» escola.
Tudo na mesma. Nem os pombos faltavam, no pátio do recreio.
Tudo na mesma, excepto a fita vermelha a impedir a aproximação ao "muro de cima", paredes-meias com a Marinha, em perigo de derrocada!...
Queria voltar. 
Assim, apetece.
Assim, dá gosto.

1 comentário:

Isabel loves design disse...

Querida Manuela, ha muito que nao visitava o seu blog. Encontrei-o todo mudado, muito bonito e cheio de palavras que me emocionam. Boas continuacoes e ate sempre amiga, Isabel