domingo, 1 de fevereiro de 2009

Momento de poesia

E TUDO ERA POSSÍVEL

Na minha juventude antes de ter saído
da casa de meus pais disposto a viajar

eu conhecia já o rebentar do mar
das páginas dos livros que já tinha lido

Chegava o mês de Maio era tudo florido
o rolo das manhãs punha-se a circular
e era só ouvir o sonhador falar
da vida como se ela houvesse acontecido

E tudo se passava numa outra vida
e havia para as coisas sempre uma saída
Quando foi isso? Eu próprio o não sei dizer

Só sei que tinha o poder duma criança
Entre as coisas e mim havia vizinhança
e tudo era possível era só querer.

Ruy Belo

9 comentários:

BoDy anD SouL disse...

Parabens por voltar a Postar e escolheu algo lindo que todos "nos" (os Cotas) nos identificamos. Um abraco. Isabel

Antonio disse...

Bem-vinda!

Que bem que nos sabe ver o teu bonito sol com raidioso de poesia.
Boa ajuda para enfrentar tormentas várias que nos vão desgastando

António

Joaquim Chaves disse...

O sonho é um desejo, segundo Freud, talvez a conclusão menos polémica deste grande patrono.
Diz também Gedeão, grande mestre, professor, poeta, escritor: “ o sonho comanda a vida”
Eis a partida para efectuar um voo planado sobre o sonho, a capacidade e a relação com a idade, por um lado. Por outro, o sonho visto no sentido da concretização do objectivo.
O poema de Ruy Belo, na minha interpretação, eleva o perímetro para diâmetros ilimitados e sonha também acordado :…”Quando foi isso? Eu próprio o não sei dizer”… Retorna à fértil imaginação de criança para fundir essas duas vertentes da mente humana sonho/realidade. Tendo conseguido pelos livros apreender os sinais, sendo a imaginação o motor do viagem.
Se Descartes consegue sonhar com um novo sistema matemático. Se inúmeros artistas nas múltiplas vertentes sonham é transmitem para a matéria o sonho, porque não sonhar também acordado? É tão bom! E quanto mais maduro for o/a sonhadora, mais valorizada será a viagem.

BoDy anD SouL disse...

Que bonito escreveu o Joaquim, que pena nao escrever mais no seu blog e o ter aberto.
Que pena sinto por vezes ouvir as criancas dizerem (aqui na Australia)"I'm borred" ou seija, criancas que sofrem de tedio, porque nunca usarao a sua propria imaginacao, tanto entretimento se lhes oferece, que nao os estimula na direcao da imaginacao.
ainda ontem lia num blog portugues uma senhora escrever como o tempo passa rapido que ate o filho pequeno sente. Na nossa infancia e da nossa infancia temos na memoria longas tardes de verao. Mas nao tinhamos a vida cheia de actividades. Quando eu era miuda nao havia piscina na vila em que nasci, quando vizitei a dois anos, ouvia as maes dizerem tenho que ir levar a filha a ginastica, a piscina, futebol, musica. A minha vida era simples eu me entretinha com pouco . Hoje tanta pessoa sofre de stress, passao o tempo a correr com medo de se perder algo e no fundo se perde mesmo algo precioso que nao se soube apreciar "o tempo de sonhar".

Tanea disse...

Olá. Dei um prémio ao teu blog. Podes ir ver no meu :)

Gostei do poema e do sol neste dia de chuva.

bjs

Joaquim Chaves disse...

A nossa amiga de Melbourne coloca uma questão interessante, mesmo pertinente, mas primeiro quero agradecer o carinho do elogio. Segundo, dizer que não necessito de uma lua nova (blogger), se já temos o delicioso quarto crescente…
Pois cara amiga, o seu ultimo paragrafo acerta em cheio no cerne da questão. Está lá tudo!

Pedro disse...

Tudo É possível, é só querer =) Acreditar nisso acima de tudo ;)

Excelente escolha de poema.

Elsa Neves disse...

Nada é impossível.
Quando se acredita.
Quando se persiste. Com serenidade.

SusyeNina disse...

olá professora!!!!!como esta ??????
eu estou bem,muito bem!!
so queria pedilher 2 coisas:1keria saber se me podia arranjar um poema sobre o dia de terra em ingles e 2 queria que me desse o seu e-mail para falarmos!!!!quando poder invie as respostas para ninasantos1998@hotmail.com

muitos bjs da sua aluna ana santos