quinta-feira, 1 de maio de 2008

Antologia Poética - Mar...

Arte de navegar

Vê como o verão
subitamente
se faz água no teu peito

e a noite se faz barco,

e minha mão marinheiro.

Eugénio de Andrade, in Eros de Passagem, Campo das Letras,3ª edição,1998



Mar

De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

Sophia de Mello Breyner Andresen, in Poesia I, 1944


Lusitânia


Os que avançam de frente para o mar
E nele enterram como uma aguda faca
A proa negra dos seus barcos
Vivem de pouco pão e de luar.

Sophia de Mello Breyner Andresen, in Mar Novo, 1958



Pintura de Manuela Marques: http://sesimbrapainting.blogspot.com/

2 comentários:

Elsa Neves disse...

Que lindo post!

Gosto sempre muito do Eugénio de Andrade e da nossa Sophia. E fiquei encantada pelos traços azuis, brancos, suaves, puros, de Manuela Marques. Enlevam a alma.

Boa semana, Manuela!

Antonio disse...

Lindas poesias com belas pinceladas para começar a semana !!!
È sempre bom ver que vens deixar umas linhas, fico a agurdar uma crónica saborosa do Redondo !!!!