sábado, 4 de junho de 2011

A propósito de crianças...



Encontrando-me na sala, bem cedinho, um dia o Kiko perguntou-me: "Estavas à espera de mim?" 
Estava, realmente! Havia que aproveitar todos os minutos disponíveis da minha curta visita; era a hora do seu pequeno almoço, da ida para a escola; era o momento diário do beijo de despedida
(Daqui de longe, eu continuo naquela sala, à sua espera, e a dar-lhe um beijo, a cada manhã...)
À hora de almoço, era tempo de regresso. A seguir, o ansiado momento das histórias, tendo ficado em 1º lugar, no Top das preferências, o Tio Lobo (da Kalandraka). Por fim, já era ele quem me contava a história a mim, com idênticos requebros na voz... 
(Menos bem sucedida fui eu... que não sei se conseguirei fazer uma pintura no Paint, tão bem quanto ele, apesar das suas demonstrações!...)
E não dispensávamos, diariamente, uma ida ao Parque... Tantas crianças, de todas as idades, cores e credos, com suas amas ou familiares, cada qual com seu brinquedo, dispostas a partilhá-lo momentaneamente... Excelente escola de socialização! Convívio e aprendizagem, em ambiente de alegria e descontração! 
As crianças têm, não raras vezes, saídas inesquecíveis... Ele também, claro! Certo dia, vendo-me sem saber muito bem o que fazer à irmã ensonada, bem a propósito, o Kiko opinou: "Avó, põe ela na cama e pronto!" - acrescentando, resoluto - "Tomar conta de crianças... é fácil!".
E houve ainda aquela outra vez em que, depois de eu lhe ter dado uma ínfima moeda para o seu mealheiro, ele decidiu, sensato: "Vou guardar, para fazer uma viagem!"
Indicou o destino. Voou longe o seu sonho...
Inevitavelmente, os dias foram-se escoando, um a um... A despedida anunciada foi-se aproximando, inexoravelmente... E aconteceu!
Fácil e difícil!...
 ...Até à próxima!
Fui matar saudades e trouxe-as renovadas.
Vivam as férias!

3 comentários:

franciscog disse...

Foram curtos os dias para matar tanta saudade. De avó e netos, ou neto, diga-se, que esse efetivamente já compreende melhor. A neta, reconhece a avó até hoje... Pergunta-se "A avó?". E corre para a fotografia ali ao lado do sofá, aponta e diz segura: "A cué." toda ela um único e gigantesco sorriso... O Kiko, esse astrónomo e curioso do tamanho do mundo, sente falta dos avós e nunca os esquece... Nem nós, pais do Kiko e da Kitty.

Manuela Caeiro disse...

Gosto de te ver aqui, Filho-Pai, nesta partilha de afetos e expressão de sentimentos...
As "saudades renovadas" incluem todos e cada um: da mais pequenina aos crescidos, deste e desse lado do oceano. Havemos de as "matar" - e de as "renovar", qualquer dia destes... :-)

Mizé disse...

mizé3ster@gmail.com

"A propósito de crianças..."
Que belo texto sobre umas breves mas insaciaveis férias, que na hora da despedida já se prometem renovadas!
Limpei a poeira que tinha nos meus olhos...
Adorei passar por aqui!
QPBJS
:)