terça-feira, 31 de maio de 2011

Antologia Poética


Miniatura


Pois eu gosto de crianças!
Já fui criança, também…
Não me lembro de o ter sido;
Mas só ver reproduzido
O que fui, sabe-me bem.


É como se de repente
A minha imagem mudasse
No cristal duma nascente,
E tudo o que sou voltasse
À pureza da semente.

Miguel Torga, Diário VIII, 1957

2 comentários:

franciscog disse...

As crianças são um bem precioso e toda a força do Homem devia ir no sentido de as proteger dos males, das ofensas e dos crimes a que infelizmente os vemos sujeitos todos os dias mundo fora. Que Deus me dê forças e sabedoria para proteger os meus e os que me são chegados e todos aqueles que se cruzarem no meu caminho...

Manuela Caeiro disse...

Bom propósito! Que assim seja, contigo, connosco!
"Descendo" ao nosso comezinho dia-a-dia, será preciso termos tempo para dialogar, escutar, entender, dar bons exemplos, encaminhar, acarinhar... Por uma infância feliz!